São João Calábria

 "...A Obra é para os tempos actuais..."

Somando os dias...

no dia 01/01/2017, quatro jovens fizeram a primeira profissão religiosa...

Ano Vocacional...

A não-violência: estilo de uma política para a paz

Carta do Delegado aos irmãos Externos

Luanda, 21 de Agosto de 2015

 

“ Vocês também queridos Irmãos Externos, têm a sua missão peculiar: em sua família, na profissão e no ambiente de trabalho quanto bem podem fazer! Mais, têm seu Estatuto: vejam que não fique só impresso ou escrito no papel, e desta forma vocês também estarão colaborando na realização do grande desejo de Cristo. Que todos sejam uma só coisa”.

Caríssimos Irmãos e Irmãs externos com estas palavras do Pe. João Calábria, permitam-me marcar presença espiritual, apesar de estar já representado pelo Pe. Domingos Cambila e pela Ir. Nilse. Em função da preparação da vinda do Casante, Pe. Miguel e também da preparação da ordenação diaconal do Ir. Lino não me faço presente. Porém acompanho-vos com as orações e com a estima filial em Cristo Jesus.

Que grande responsabilidade têm por fazerem parte da Obra, como Irmãos e Irmãs externos!

A Obra é para os tempos actuais e de igual forma a família dos Irmãos externos é para os nossos tempos e por isso, em cada um de vós antes de tudo deve brilhar o espírito Puro e Genuíno da Obra, o Santo Evangelho para que as pobres almas da humanidade possam ver e fazer experiência de Deus que é Pai, Providente e que nunca abandona os seus filhos. Os tempos que passam com os seus desafios, muitas vezes fazem perder o brilho de ser Irmão Externo da Obra. Estais reunidos em assembleia, momento importante para ver – julgar – agir. Para fazer o balanço da caminhada espiritual, e não só, feita desde a última assembleia anual no Huambo. Por isso, colocai--vos e sede dóceis a acção do Espírito de Deus para que façais o bom discernimento.

 

O Pe. Calábria dizia que “irmãos externos devem irradiar aquela luz que vão aurindo na fonte da Obra.….. A Divina Providência quis, por caminhos admiráveis, realizar um desígnio que estava preparado há anos, colocando estes meus queridos Irmãos Externos ao lado de vocês – Pobres Servos - para que formem uma só coisa com vocês, cumprido porém a sua missão peculiar relacionada com a hora presente e paralela à de vocês, sempre com o mesmo espírito puro e genuíno que o Divino Fundador colocou no principio”. Estas palavras devem suscitar em vós esta grande responsabilidade de pertença a Obra e o imperativo do testemunho ai onde vos encontrais, apesar de sermos todos zero e miséria. Mas o Senhor tem grandes projectos connosco.

 

O Conselho da delegação e todos os irmãos Pobres Servos olham com muito carinho a presença da família dos Irmãos Externos na Obra, por isso nomeamos o Pe. Filipe Ulika para que juntamente com a Ir. Nilse pudessem marcar presença fraterna. Como eu também o Pe. Filipe não se faz presente na assembleia por motivos presos à ordenação, mas certamente ele e toda a delegação acompanha-vos com a oração.

Desejo bons trabalhos e com a visita do Casante tereis também um momento com ele e desde já agradecemos os Irmãos Externos de Luanda que solicitaram um momento de confraternização com o Casante.

Que Deus Pai abençoe esta assembleia que declarais aberta e que a Mãe, Dona da Obra esteja convosco como família.

Deus é nosso Pai, somos todos irmãos

Pe. António Temo Armando

Delegado

Está em... Home Movimentos Irmãos Externos Carta do Delegado aos irmãos Externos